SOS Mata Atlântica na COP26

Para esta edição da COP, que teve início em 31 e outubro, em Glasgow, na Escócia, a  Fundação SOS Mata Atlântica enviou dois representantes, Mário Mantovani, responsável pelo Advocacy da ONG, e Luis Fernando Guedes Pinto, diretor de Conhecimento. 

Durante o evento foi lançado o estudo inédito sobre as emissões de gases de efeito estufa na Mata Atlântica e, junto a outras instituições, acompanharemos as discussões e eventos com o propósito de trazer soluções efetivas no combate às mudanças climáticas no Brasil. 

O principal objetivo da participação da Fundação SOS Mata Atlântica no evento é demonstrar que, enquanto o bioma amazônico deve ter suas áreas mantidas (com a contenção imediata do desmatamento), a Mata Atlântica apresenta um alto potencial em restauração da floresta – o que não deve ser menosprezado quando falamos em solução para a emergência climática. 

Atualmente, mais de 80% das áreas de cobertura original de Mata Atlântica foram destruídas, no entanto cerca de 72% da população brasileira depende de serviços fundamentais à sadia qualidade de vida oriundos deste bioma – como água, regulação climática, fornecimento de alimentos, lazer, entre outros. 

Relatório
Resumo Executivo

Produção Agropecuária na Mata Atlântica pode se tornar neutra em carbono dentro de 20 anos

Estudo realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, Imaflora e SEEG/Observatório do Clima mostra que metas de redução das emissões de gases-estufa são viáveis e podem ser atingidas com a restauração de 15 milhões de hectares de florestas, alta produção de alimentos e geração de empregos.

Clique aqui e entenda mais do assunto.

Acompanhe a SOS Mata Atlântica na COP 26

No dia 03 de novembro, às 13h45 (horário de Brasília), a SOS Mata Atlântica, representada por Luis Fernando Guedes Pinto, participou de um evento paralelo às discussões da COP26. Estivemos acompanhados do Observatório do Clima e da UN Internationa Resource Panel. 

Acompanhe o evento no YouTube, clicando aqui.

Acompanhe a SOS Mata Atlântica na COP 26

Representada por Luis Fernando Guedes Pinto, a SOS Mata Atlântica participou do evento “Mudanças de uso da terra nos trópicos e lições das trajetórias das florestas brasileiras“, paralelo às discussões da COP26. Estivemos acompanhados de representantes do Map Biomas/SEEG, UNEP-WCMC, Embrapa e Universidade de Oxford.

Para rever o evento, clique aqui.

Saiu na imprensa

Seleção das principais notícias sobre a participação da Fundação SOS Mata Atlântica na COP 26

06 de nov - Will Brazil seize the climate opportunities in the carbon-storing Amazon?
03 de nov - Estudo de ONG afirma ser possível zerar emissões de gases poluentes nos próximos anos
06 de nov - Na COP 26, painel traz diferentes visões para o Brasil 2020-2030
04 de nov - ONG defende Mata Atlântica em Glasgow
03 de nov - COP26: evento aborda o potencial da Mata Atlântica no combate ao efeito estufa
03 de nov - Produção agropecuária neutra em carbono pode se tornar possível em 20 anos, diz estudo
Foto: Rodrigo Puntriano / World YMCA

Sobre a COP 26

Esta edição da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP-26) acontece entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro, reunindo representantes públicos, instituições do terceiro setor, a sociedade civil e outras partes interessadas. O encontro é o maior espaço para que lideranças de todo o mundo debatam sobre aquecimento global, as possíveis ações de redução de emissões e sobre as metas para combate ao problema.

Entendendo que a conservação de áreas naturais e a restauração de ambientais são soluções efetivas a longo prazo para frear os eventos climáticos extremos, a Fundação SOS Mata Atlântica participará do evento tentando viabilizar estratégicas e debates que considerem o patrimônio natural da Mata Atlântica como parte fundamental do enfrentamento às mudanças climáticas.